segunda-feira, 25 de junho de 2012

Mudança brusca de caminhos

Neste quase um ano sem postar aqui no blog aconteceram muitas coisas tristes, felizes e determinantes na minha vida.Contarei o que mudou na minha vida de: ago/2011 á dez/2011.
Começando que minha mãe foi para Araçatuba para cuidar da minha avó, e depois de um tempo lá decidiu ficar pois encontrou a paz que não tinha aqui. E depois foi a minha irmã, depois de algumas coisa terem acontecido. Eu estava sem ter onde ficar quando a minha tia me convidou para ir morar com ela... Eu nunca tinha entrado além da sala de estar dela, apesar de ter sido muito bem recepcionada e ter recebido um apoio que não imaginava que iria receber, eu sentia que aquela não era a minha casa, demorei muito para me sentir a vontade de abrir a geladeira por exemplo, apesar de eles se esforçarem ao máximo para eu me sentir em casa. 
O mais difícil ainda foi me acostumar a ficar longe da minha irmã... Acho que foi o dia mais triste da minha vida até agora não foi separação dos meus pais, os momentos em que outras coisas ruins me aconteceram, mas foi a minha despedida dela na rodoviária. A minha irmã era minha melhor amiga, a pessoa com que eu conversava todos os dias, minha super companheira e confidente. Esse dia eu nem consegui ficar sozinha, fui direto procurar o Felipe, ele é a chave da minha história até agora.
Então, fiquei "sozinha", continuei fazendo a faculdade e além de Deus uma das únicas forças que eu tinha era a do Felipe. Ele me ajudou muito, passei dias sem dinheiro, nem para ir á faculdade, por causa da falta de compromisso do meu pai que sabia que eu precisava do dinheiro para estudar, mas não tratava isso como prioridade mesmo sendo meu direito perante a lei, e sendo esta que o impôs essa obrigação. 
O Felipe teve um altruísmo inigualável... Tiveram dias que ele foi até a casa da minha tia me buscar para ir á faculdade, tiveram dias que ele me dava dinheiro para ir embora e ir no dia seguinte para a faculdade, ficava preocupado com a minha alimentação, por que sabia que eu tinha vergonha, ele me dava as vezes todo o pouco que tinha, já era apaixonada por ele, mas tive ainda mais certeza de que era ele o homem que Deus me separou. Muitas vezes ele ficou só com dinheiro para um ônibus ( ele pegava dois ônibus e uma balsa para voltar da faculdade para casa), e pedia para a mãe dele ir buscá-lo, ela nem deve imaginar que essas coisas aconteciam, ela devia pensar que ele era um gastadeiro. 
Minha ideia era arrumar uma república para morar mais perto da faculdade, mas o Fê não achou uma boa ideia. Nós já queríamos nos casar, então apressamos as coisas. Em dezembro a tia do Fê me indicou para trabalhar no lugar que estou agora, me mudei para o Guarujá, morei um mês na casa dos pais do Fê e depois a mãe dele arrumou um apartamento para nós morarmos juntos. Apareceram muitos anjos na minha vida nesse tempo como podem ler, a mãe do fê foi um. Ao contrario de muitas mães, ela se abnegou, apoiou muito nossa relação, ajudou e ajuda sempre como pode. Além da família dele, tia, primos, todos ajudaram-nos.
Eu tranquei a faculdade em janeiro, espero conseguir a bolsa de novo e voltar em janeiro do próximo ano. Agora minha vida se resume a lutar com o meu agora marido, para vencer e conquistar nossa total independência financeira entre outras coisas. 
Analisando antes de tudo isso acontecer e depois, eu vejo que Deus já estava me preparando para isso, o namoro me afastou um pouco da minha irmã, as maiores qualidades do Fê serem as que eu mais precisei, a paciência, atenção, carinho, compaixão entre outros. Eu tive o suporte que eu precisava, tudo na medida certa, Deus nunca nos deixa só, nunca descumpre o que promete... E mesmo que não sejamos fiéis a Ele, mesmo assim Ele se mantêm a nós. Costumo falar que eu tenho muita sorte, porque eu sei que poderia ter sido tudo mais complicado, mais sofrido para mim, mas não foi... Sou muito abençoada, encontrei um homem que as vezes eu não acredito que ele seja humano (risos), com certeza é mais fácil ganhar na Mega Sena do que achar um igual ao Fê no mundo... Por isso, acho que qualquer dia eu posso ganhar na Mega. : P

Foto: Capa do cartão de aniversário que ganhei 18/09/2011
Foto: Escolhas

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Respirar


Me perguntaram se eu já vi um milagre.

Comecei a pensar, porque eu tinha certeza que já tinha visto um. Não vi, um paraplégico andar, nem mudo falar,  nem presenciei pessoalmente cura de males ou um cego enxergar. Eu não conseguia lembrar qual era o milagre que eu tinha visto.

Então eu disse que não importa se eu já vi um milagre ou não. Deus não vai ser mais ou menos poderoso se eu ver um grande milagre acontecer, não mudaria pra mim a visão que tenho de Deus. Eu sei que Ele faz grandes milagres todos os dias, mas eu sei que eu estar viva é um grande milagre também.

Uma vez quando eu estava na quinta série, o professor de ciências pediu para nós alunos levarmos uma experiencia para a aula. Naquele tempo eu acho que o google nem era o google ainda, e eu não sabia usar um computador. Então, fui pesquisar nos livros, e achei uma simples experiencia muito conhecida, era o seguinte:

Pegar dois refratários sendo um menor que o outro, encher um com água, e colocar o outro depois de cabeça para baixo.

O objetivo era provar a existência do ar.

Era a coisa mais fácil que eu podia fazer, eu li um pouco sobre o ar e apresentei essa experiência fajuta e manjada. Essa experiencia fajuta e manjada me rendeu a liderança da sala. Porque os outros fizeram suas experiências, mas talvez não explicaram sua importância, ou sei lá, talvez o professor deve ter ido com a minha cara.

Ultimamente eu fico me sentindo sufocada com acumulo de pessoas, então, imagine o meu problema com onibus em horário de pico. E num dia desses indo de onibus pra faculdade, eu lembrei dessa experiência sobre o ar, e não pensem que eu vou dizer aquela mensagem que é verdadeira mas todos sabem que é:
Que Deus é como o ar, a gente não ve mas a gente sente e não pode viver sem.

É bonito e muito verdadeira essa frase, mas o que eu quero dizer é que o ar é um milagre, a natureza é um milagre e eu sou um milagre. Eu me interesso pelo ar oxigênio desde sempre. Mas não quero falar sobre ciência, mas sim de fé.

Depois de falar que eu não precisava ver um milagre para a pessoa, eu lembrei de um. Eu detestava exatas, mas consegui uma bolsa integral de engenharia, e já vou terminar o segundo ano de faculdade e não perdi a minha bolsa, isso é um milagre (risos). Agradeço a Deus todo fim de semestre pela graça alcançada, porque já não é fácil pra quem sempre desejou isso, imagine pra quem caiu de paraquedas e começou a se interessar depois, é como eu sempre digo, "são cinco gigantes cada fim de semestre"... ops, agora são seis (disciplinas). É, eu vivo um milagre.

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Vovôs do Futuro

Já pararam pra pensar como serão os vovôs e vovós do futuro?

Aqueles velhinhos cheios de histórias ligadas a natureza, como: subir em arvores, lidar com animais, os brinquedos artesanais e seus recursos artesanais domésticos.

Histórias como a da minha avó que trabalhou colhendo tomates, usava seu uniforme escolar todo bonitinho (com saias, gravatinhas e tudo mais), estudou até a quarta série e que improvisava seus brinquedos. Ou como a do meu avô que comeu carne de cobra, nadava no rio, jogava bolinha de gude, empinava pipas quando jovem, tinha contato com animais selvagens e fazia travessuras super inocentes ligadas ao lugar onde ele morava.

Ou ainda como a vozinha do meu namorado que morou em sítio e até hoje tem seus animais como: tartaruga, papagaio, cachorro e alimenta muitos pombos escondida no quintal dos fundos.
Talvez meus filhos tenham  ainda um pouquinho de historias desse tipo para ouvir dos meus pais, mas e quando eu for avó?

Comecei a pensar nisso, as coisas que eu vou ter pra contar pros meus netos, que vão ser totalmente diferentes destas. O estilo de historias vão mudar muito, como hoje que já é difícil encontrar velhinhas fazendo crochê. As velhinhas de hoje já não querem assumir seus cabelos da "cor experiência", teem uma preocupação muito maior com a aparência comparando com as velhinhas de antes, penso eu.

Coisas que eu tive e penso que no futuro será um absurdo, me renderá boas histórias:
Tv de caixa, computador com 30 gigabytes, videocassete, discos de vinil e cds, internet discada, geladeira com gelo no freezer, molho de chaves, telefone com fio e creio que a maioria das coisas que eu uso hoje vão ser jurássicas. Imagine, os filmes que você assistiu no cinema, os desenhos da infância, as músicas, os famosos desta época, os políticos, a moeda e muitas outras coisas.

Também, o que te tornará uma lenda, como, o que você estava fazendo quando um avião derrubou as torres gêmeas. Eu tenho vontade de perguntar essas coisas a eles, o que eles faziam enquanto os nazistas fazem um holocausto de judeus, ou quando no Brasil houve os golpes de estado e tantos outros fatos.

Eu acho que a relação do meu sogro com o neto dele vai ser um tanto diferente, ele não gosta que chame ele de  sr. ___, ele é impessoal. Eu lembro que o meu avó já dispensava a benção, ele dizia que era coisa de velho. Eu imagino o meu sogro com uma relação impessoal com o seu neto, talvez disputando uma partida de vídeo game e com certeza ele vai ganhar porque ele vai ter experiência.

 Eu fui criada de um jeito que eu não consigo falar você, ou falar com uma pessoa mais velha apenas chamando pelo nome. Cheguei a conclusão que o chamar de "você", não quer dizer que você está faltando com o respeito ou que você tenha menos educação,    é apenas uma forma diferente de relação, o respeito nós vemos nas atitudes, não na forma de colocação das palavras, eu penso. Um exemplo de como eu falo e de como meu namorado falaria:
Eu: - Mãe, a senhora deixa eu sair hoje.
Meu namorado na mesma frase: - Mãe, você deixa eu sair hoje.

O modo de se direcionar com certeza mudará, mas o amor, respeito, admiração sempre estará vivo. Nossos anciões sempre serão os mais sábios e experientes. As histórias também continuarão sempre vivas, histórias diferentes, mas histórias.

Eu deixo este pensamento para guardarem nas suas mentes, este pensamento é uma pergunta, e a pergunta é:
Como será quando tudo o que eu tiver vivido for arcaico?
E quando meu netinho tiver que me ensinar a mexer em algo que eu não souber, talvez uma nova tecnologia? E quando minha pele não for tão esticada como é, e meus cabelos com cor?
Quando estiver com pouco folego, e pouca resistência.

Isso tudo será um privilégio para você, por incrível que pareça, chegar nesses tempos vai ser uma coroação por ter passado por todos os momentos que passou.
Eu quero um dia envelhecer.

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Minha vida de acordo com...

Graças ao bom Deus , enfim, de férias!
Recebi este desafio da Manu autora do blog I Love It Loud, o desafio é de usar nomes de músicas de um mesmo artista ou grupo, e responder as  perguntas, e seguir as instruções:



Escolha o seu Artista: 

Você é homem ou mulher? 
Descreva-se:  
Como você se sente?
Descreva o local onde você vive atualmente: 
Se você pudesse ir a qualquer lugar, onde você iria? 
Sua forma de transporte preferida?
Seus  amigos(as): 
Hora do dia favorita: 
Se sua vida fosse um programa de TV, como seria chamado?  
O que é a vida para você? 
Seu relacionamento: 
Seu medo: 
Qual é o melhor conselho que você tem pra dar? 
Pensamento do Dia: 
Meu lema:  


Passe para as pessoas que você gosta e me incluir. Tente não repetir um título de canção no seu teste e nem um dos que eu usei (se você escolher este mesmo artista). É muito mais difícil do que você imagina! Repost como "Minha vida de acordo com (nome da banda ou artista)",  cole as instruções no corpo do post, e indique amigos que gostaria de ver participando.  

Enfim, vamos lá!

Minha vida de acordo com Bon Jovi.


Você é homem ou mulher: Woman in love
Descreva-se: Learn to love
Como você se sente? Ugly
Descreva qual local você vive atualmente: Complicated
Se pudesse ir a qualquer lugar onde você iria? Lost highway ? XD
Sua forma de transporte preferida: We got it going on! Yeah!
Seus amigos (as): Blood on blood
Hora do dia favorita:  Talk to Jesus
Se a sua vida fosse um programa de TV, como seria chamado? It´s my life. Fácil!
O que é a vida pra você? Living on a prayer. <-- vale a pena clicar mesmo, tinha esquecido de como essa música era linda!
Seu relacionamento: You a born to be my baby, Fê ^^
Seu medo: Lie to me.
Qual o melhor conselho que você tem para dar: Keep the faith, outra linda, linda! rs
Pensamento do dia: Have a nice day. Claro!
Meu lema: I Believe.

Foi legal participar dessa brincadeira, não podia ser outra banda, tinha que ser Bon Jovi mesmo, depois que eu vi um dvd que o meu pai comprou do Bon Jovi, eu me viciei. Eu sei quase todas deles, assim ficou muito fácil responder. Valeu a pena relembrar minha adolescência, não que isso faça muito tempo mas ... ^ ^


sexta-feira, 10 de junho de 2011

Meu doce preferido.

O mês de março de 2010 mudou a minha vida. Um dia após eu sair de uma aula muito exaustiva, fui ao ponto de ônibus, com a certeza de que era o final do meu dia. Mas estava redondamente enganada.
Estava no ponto de ônibus e vi um garoto passar, achei ele bonito, e esse garoto voltou e me perguntou se o numero do ônibus dele já tinha passado, eu disse que não sabia, e ele começou a puxar conversa. Então o onibus dele chegou, e ele foi, mas estava cheio e ele decidiu voltar, quando ele voltou já perguntando meu msn, e a gente conversou mais um pouco e eu fui embora. Mas eu fui embora me sentindo muito esquisita, estava dentro do ônibus, quando percebo que ele fazia um caminho diferente, acabei pegando o ônibus errado. Só aconteceu isso uma vez, e foi nesse dia. Quando cheguei em casa contei para minha irmã e minha mãe que estavam no quarto sobre o garoto que eu tinha conversado, e depois fui dormir.
Pois é, a gente começou a se falar no msn, e marcamos um encontro no "shopping" em frente a facul, antes da aula começar. Ele me roubou um beijo, eu fiquei sem ação, porque até então eu encarava todas as pessoas como amigos. Mas eu tinha gostado dele, ele era corajoso, todo o que ele queria dizer ele dizia... nunca teve ninguém entre nós, nós nos apresentamos e nos conhecemos. O interessante é que ele não tinha medo de me elogiar, não tinha certeza nenhuma que eu fosse ficar com ele, ele enchia muito a minha bola... ele me conquistou. Ele me elogia todos os dias desde então, eu sei que eu não sou tudo o que ele diz, mas eu amo isso, e eu sinto o amor dele por mim, era tudo o que eu pedia a Deus.
Tudo bem que ele até mentiu pra mim, disse que não tinha time de futebol, e agora veio com a conversa que é palmeirense, e eu sou muito corinthiana. Ele tinha falado que o pai dele era palmeirense e que ele não assistia futebol, eu fiquei pensando: -Bom, menos mal, ele pode virar corinthiano. Que ingenuidade!
Ele é a minha borboleta azul, ele é raro, diferente, vou explicar porque.
Não é porque eu estou apaixonada não, ele tem jeitos diferentes, gestos diferentes, aparência diferente... tudo. Ele tem cabelos compridos até o ombro, 1,85m, olhos lindos, boca linda, sombrancelha perfeita, rosto perfeito e todo lindo.
Ele desenha, fala japonês, adora animes e é um colecionador de mangás. As vezes fico provocando só pra ver o olhar que ele faz, que é meio tremido, ele é muito paciente e é muito diferente brigar com ele, quando ele fica querendo falar e não consegue porque eu não deixo é tão engraçado, eu me seguro pra não rir. As vezes eu falo tanto que ele desiste e me abraça e tenta me calar com beijos. Ele é um doce, as vezes até consegue me dobrar, porque ele vem com aquele jeitinho e acaba fazendo com que eu esqueça do que eu ia dizer. Adoro quando ele tenta me explicar alguma coisa, eu não faço a menor ideia do que é, mas fico fingindo que entendo para ver ele explicando, é muito bonitinho, dá vontade de apertar as bochechas dele de tão fofinho que é. Ele concentrado é um charme. Ele sabe tudo sobre desenhos animados, outro dia a ente tava conversando sobre algo, e ele falou se eu assistia o "Pink e o Cérebro", um desenho do Steve Spielberg, e eu disse que não conhecia e ele começou a cantar a musiquinha pra mim lembrar, aih começou: -O Pink e o Cérebro, o pink e o cérebro, um é um gênio o outro um imbecil... Foi muito engraçado, é legal também ele fazendo sotaque de português de portugal, ele ouve as vezes radios de lá. As únicas coisas que fazem ele virar  pescoço na rua é: Banca de Jornal, lojas de vídeo game e o principal de todos CACHORROS.
Ele é doente por cachorros, se ver um na rua ele compra um salgado e dá pra eles, isso quando ele não divide o próprio pão dele. Outro dia queria deixar uma blusa dele com o cachorro, por causa do frio. Ele é muito louco por cães e lobos, a mãe dele também é, ela tem uma tatuagem de um lobo nas costas. E a primeira coisa que ele fez quando completou 18 anos, foi fazer um lobo também e no braço, a vó dele que deu a tattoo de presente. Ele não sabe cozinhar, mas não me deixa lavar louça, nem na minha própria casa. É uma gentileza em pessoa, minha mãe gosta muito dele, meus irmãos também.
A gente fala de casar, viajar, ter filhos e morrer velhos e juntos. Ele não gostava muito da ideia de casar no comecinho, achava que era só ajuntar e tals, mas hoje é o que mais a gente conversa e deseja. Ele tem seus defeitos também, mas o amor que a gente sente é o que nos faz compreender um ao outro e buscar melhorar sempre. Além de eu ter muitos defeitos, faço muitas exigências, nem sempre tenho bom humor como a florzinha que ele me deu, mas mesmo assim, ele é tão paciente. As vezes a super proteção dele me irrita, mas eu entendo. Ele faz muitas coisas por mim, se priva de muitas coisas por mim, aceita muitas coisas por mim e aguenta muitas coisas por mim. No primeiro dia que ele veio na minha casa, ele foi buscar gás que tinha acabado,nem aguentava... mas era um braço no meu ombro e outro carregando o gás. Outro dia a gente tava no ponto esperando o ônibus e veio uma turma de molequinho querer levar minha bolsa e ele me defendeu e ofereceu dinheiro para os moleques e um deles pegou e deu um chute no olho dele, já que estávamos sentados, e sairam correndo. Eu não sentia ódio nele, estava tão sereno, mas ficou com o olho roxo uma semana. Ele é super na paz, amoroso e carinhoso. Tem um ótimo relacionamento com a mãe dele, ele é mais feminista que eu. Eu enrolei ele bastante, não queria começar um namoro do nada, pra também não terminar do nada, ele ficou 2 meses na experiência, depois eu fixei ele, no dia 22/05/2010 no shopping, depois de ele conhecer a minha mãe.
Bom eu sei que vocês devem pensar que porque é começo, é um mar de rosas. Eu tento não fechar os meus olhos, quero ver se eu não imagino coisas, mas como eu não vejo outra verdade, eu acredito nessa.
Eu sinto que ele carrega um pedaço de mim, de tanto que o amo. O meu pedido a Deus era de um homem simples, não precisava de ter coisas, não precisava ser bonito, eu só queria que me amasse de verdade... e Deus me deu um homem lindo e que me ama. A gente mora muito longe um do outro, pra vocês terem ideia, pra ele vir me ver ele precisa de: 1 ônibus + 1 barco +1 ônibus + 1 van. Mas ele nunca mediu distancia para vir me ver.
Eu te amo muito Felipe S. C. Garcia!!
E foi incrível cada momento desse ano contigo, nos cinemas, shoppings, lanchonetes, Campos de Jordão, na facul e tudo mais.

Fotos: a primeira ele desenhou, coloriu e me deu de presente ^^, e essa foto acima eu tirei, das cartas e coisinhas que ele me deu.

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Deliciosa Páscoa

Na realidade a páscoa foi ontem, mas não queria deixar de publicar como eu gosto desse dia.
A páscoa já é legal para quem não entende seu significado, pra quem entende é uma data realmente muito importante.
Minhas datas favoritas são o natal e a páscoa, respectivamente, o nascimento de Jesus e a consumação do propósito que o trouxe nesta terra.
Antes eu tinha uma visão negativa sobre os ovos de páscoa, por que pensava: - Maldito capitalismo!, arrumam sempre um motivo pra fazer o povo ter necessidade de gastar!
Mas ontem, fiquei pensando que a ideia do ovo é legal até, não poderia ser uma cruz... porque ele está vivo, e nos deu a oportunidade de nascermos de novo, e sendo de chocolate, nos adoça a vida, nos traz alegria... Salomão disse sobre o comer bem, não ser guloso, lógico... mas tudo é ilusão nessa terra, mas comer é uma coisa muito legal!

Eu só não entendo uma coisa: -o que o coelhinho faz?
Quem puder me responder por favor coloque nos comentários, ficarei grata. (não sei porque, mas isso me cheira armadilha)

As duas datas são deliciosas, tem alguma outra data que você coma melhor do que estas? Pra mim não tem, não que nós devemos associar somente ao comer bem, mas a ação de graças, mostrar nossa felicidade pelo presente que Deus nos deu. Sou muito feliz por essas datas acontecerem, sem elas, não poderia me tornar filha de אלוהים (Deus). 

ps: Obrigada namorado pelos ovos de páscoa, estavam uma delícia!

domingo, 17 de abril de 2011

Aparecido Sarto

Aparecido Sarto é o nome do meu avô materno, ele foi uma pessoa muito especial na minha vida... ele se tornou para mim um modelo de homem.
Quando pequeno meu avô era uma criança super levada, ele fazia muitas travessuras.
Um dia quando eu era criança, nós fomos almoçar na sua casa, não íamos sempre, mas quando íamos, era aos domingos. E como todas as vezes, comíamos macarrão com carne, azeitona preta e guaraná Antártica ( porque coca-cola desentupe a pia, ele dizia). Num dia como esse, depois de comermos, fomos sentar na sala e descançar o almoço, era nessas horas que ele vinha com uma caixa de bombons e "bala juquinha", e contava-nos histórias de sua infância. Ele contou-nos que a mãe dele reclamava de um gato que comia as coisas dela, e ela sempre se aborrecia, e um dia ele falou para ela: 
- Pode deixar mãe que eu vou dar um jeito nesse gato!, então ele pegou comida, e atraiu-o e na hora que o gato comia, ele fazia carinho nele, e nessa hora amarrou uma bombinha no rabo do gato, e o gato saiu explodindo, nunca mais a mãe dele viu a cor desse fulaninho.
Outra coisa também que levava a minha irmã á loucura, era quando ele dizia que ao invés de leite comum, quando bebê ele mamava leite condensado, o sonho da minha irmã era poder tomar leite condensado todos os dias como se fosse leite comum, os olhos dela e os meus também, brilhavam quando ele contava isso, como todas as crianças amávamos doces! Ela que me perdoe, mas ele falava que um dia ela iria explodir que nem a Dona Redonda, que era uma mulher que explodiu de tanto comer, acho que era de uma novela isso, nos divertíamos muito.
Contava nos também de um japonês, que era seu amiguinho, e que ele gostava de tirar sarro dele, ele amava sabotar o japinha, o japinha o chamava de "mureki aparixido".
Ele começou a trabalhar desde cedo, seu pai o italiano Elias Sarto era muito duro na criação de seus filhos homens, meu avô era o mais velho, ele foi registrado com 2 anos de idade, junto com o seu irmão Oswaldo que nascera, por isso, havia uma confusão sobre sua data certa de aniversário. 
Um dia ele conheceu a minha avó Elizabeth, minha avó dizia que ele era lindo e tem um ator que lembra muito ele, o ator é o Vitor Fasano. Ele sempre a convidava para uns passeios de caminhonete.. nesses passeios ela ficou grávida de um menino, e eles então foram obrigados a casar, minha avó era uma garota nova, eles tinham uma diferença de idade por volta de 10 anos. Ela não conseguiu levar a gravidez até o fim, perdeu o menininho. Um tempo depois ficou grávida denovo de uma menina, esta nasceu, seu nome é Mara (minha avó quem escolheu). Depois teve mais uma menina seu nome é Soraia (meu avô quem escolheu, ele dizia que era o nome de uma princesa), esta é minha mamãe. 
Eles sofreram muito pela falta de emprego no interior, e então meu avô resolveu vir para Santos, ou melhor, São Vicente (cidade vizinha), pois seu irmão estava aqui, pensou que teria mais chances. E então veio, e logo em seguida veio a minha avó e as crianças, meu avô não teve muita sorte ao chegar, passou maus bocados, morou um tempo com seu irmão, mas não gostava de incomodar, arrumou um lugarzinho para viver, um lugar com 2 cômodos. Minha mãe fala que ela dormia na cozinha com a minha tia, numa beliche.
No início, não tinha nem o que comer, ele comeu muita sardinha, as vezes até com prazo vencido.. Dava prioridade para as suas filhas e mulher, as vezes até escondia o que passava, e até mesmo a fome que sentia, sempre dizia que estava tudo bem, mas minha avó sabia que não era bem assim.
Minha avó nunca tinha visto o mar antes, por isso, ia a praia todos os dias com as crianças. Minha mãe conta que meu avô dizia:
-Beth, essas meninas estão ficando pretas, parem de pegar tanto sol!
Ela continuou indo durante todos os primeiros dias, e ele, procurava um emprego para tirar o sustento da sua família.
Meu avô não dinheiro nem para pegar o ônibus para ir trabalhar, ele conversava com o motorista para não pagar a passagem porque não tinha como, e assim ele ia todos os dias para o cais de Santos, nos contou que muitas vezes já fizeram até maldade de deixar ele bem longe de onde ele deveria de fato descer.
Eram os serviços mais indesejados que ele fazia, descarregava navios e lidava com muitos produtos tóxicos como enxofre. Ele trabalhava mas ainda era difícil a vida, morar, comer e se vestir ainda eram problemas. Meu avô tinha muito zelo por suas filhas, minha mãe conta de 2 chales que ele comprou, um pra ela e outro pra minha tia, ela adorava aquele chalezinho. Minha avó arrumou umas roupas para lavar, e tentava ajudar no que podia.
Minha avó conta que tudo mudou, a partir do momento que Jesus entrou na sua casa, uma senhora chamada D. Orazina, veio até onde eles moravam e através dela minha avó teve um encontro com Jesus. Depois desse dia, nunca mais eles tiveram fome ou o que vestir, Deus promete isso.
As coisas começaram a se acertar, meu avô conseguiu uma casa. Esta casa estava sendo leiloada, e ele deu um jeito para que fosse dele, e a financiou. Minha mãe conta que quando ela chegou nessa casa, ela estava toda suja, cheia de coisas estranhas, então, eles a limparam e mudaram para ela. Meu avô viveu nessa casa até a sua morte, e hoje quem vive nela sou eu.
A vontade do meu avô era que minha mãe e minha tia estudassem, se formassem e fossem independentes. Ele era muito reto no seu caminhar, chegava todos os dias em casa na mesma hora, não se atrasava, suas contas eram pagas com antecedência sempre, ele não tinha nenhum vício... nem mulher, nem bebida e nem cigarros. Talvez por ser um pai super protetor, minha mãe e minha tia se sentiam sufocadas, quando ele chegava elas tinham que estar com as mesinhas de estudo delas abertas, e deveriam estar estudando... ele tirava nota, sobre o que elas tinham aprendido. Quando elas erravam as perguntas ele dava um "coque" (quase tapa) na cabeça delas. Minha mãe conta que quando ele estava chegando elas saiam correndo desesperadas e armavam a mesinha e fingiam estudar, elas não gostavam disso, começaram a ter medo dele.
Chegou na juventude delas, ele passou a ter 2 empregos.
Minha tia se rebelou contra ele, porque ele não queria que ela namorasse, ele calculava o tempo da escola até a casa, e quando ela se atrasava ele brigava com ela, e as vezes batia. Ela um dia se apaixonou, e ele não permitiu o namoro, então ela fugiu de casa.
E ficou só a minha mãe em casa, mas minha mãe também não queria fazer o que ele queria que ela fizesse. Minha mãe se apaixonou pelo meu pai, e o meu pai foi falar com o meu avô. Quando meu pai chegou para falar com o meu avô ele tinha acabado de operar a hemorróidas, então ele disse:
- Olá sr. Aparecido, gostaria de falar com o sr. sobre a Soraia, sua filha.
Meu avô então disse:
- Eu vou contar até 3, para você desaparecer da minha frente!
Meu pai disse que foi correndo quase, ele disse que o meu avô parecia um armário.
Por ele dificultar a vida deles, o romance ficou mais interessante. Minha mãe ficou grávida com 18 anos, e casou com o meu pai Gilmar, e tiveram meu irmão Yuri. Depois tiveram Eu e depois a Kety.
Minha tia também casou-se, e teve 3 filhas e mais tarde teve mais um menino.
Meu avô ficou só, minha avó se separou dele também, me lembro de antes disso eu ter dormido na casa dele, acho que fui a unica... eu sempre achava que tinha um tesouro escondido, por que meu avô era um tanto misterioso. Ele ficou doente, foi internado e foi descoberto a Leucemia, mas ele nunca deixou de trabalhar, agora com 1 emprego.
Por mais que o meu avô estivesse doente, ele nunca se abateu, eu não entendo até hoje como ele conseguia viver tão sozinho, se contam nos dedos as vezes que ele pisou na minha casa. Era muito difícil tirar ele da casa dele, uma vez conseguimos e ele foi conosco passar o natal em casa, eu adorava meu avô. Ele era sarcástico, muito inteligente... ele aprendeu inglês sozinho. Tinha apostilas de italiano, mas o que predominava eram os livros de como se alimentar bem, ele tinha trauma de sardinha.
Ele comia tudo do melhor que existia, isso era uma característica dele, creio que por causa de sua alimentação conviveu 10 anos com o câncer no sangue. Eu as vezes me pego pensando nas causas do seu câncer, creio que possa ser por causa dos produtos tóxicos que ele trabalhava ou pela sua tristeza de ficar só, acredito que ele nunca deixou de amar a minha avó.
Ele ia todos os domingos á missa, passamos muitos domingo juntos, a unica coisa que eu achava ruim no meu avô era que ele era um São Paulino roxo, mas era engraçado o jeito que ele lidava com isso, ele xingava os jogadores do time dele mais do que tudo. Eu sempre conversava com o meu avô, e perguntava:
- Vô, porque o sr. vai na católica, sendo que o sr. diz que não acredita em santos, nem em imagens?
Mas ele nunca me deu uma resposta que me tirasse essa pergunta da mente. Ele dizia que não cantava a parte que era idolatria e etc... e ia embora nessa parte.
Mas ele foi ficando muito doente, estouravam furúnculos em seu corpo, e ele pegava o bisturi e ele mesmo arrancava os furúnculos, eu ficava impressionada quando ele contava. Era forte demais, trabalhava muitas vezes doente, nunca faltava e  nunca se queixava. Era quase um pessoa de outra galáxia, sua força era muito grande mesmo, quando deixou de trabalhar.... faleceu.
Hoje em dia, não se encontram homens como ele foi, minha avó trabalhava para comprar roupas, ele nunca tirou a responsabilidade de suas costas e foi assim até o último dia de vida. Minha mãe arrumou um emprego na LBV ( legião da boa vontade) essa semana, e descobriu que ele era um doador, a vida dele pra mim as vezes é um mistério. Não entendo como alguém pode viver sozinho, isso foi a primeira coisa que Deus abominou, deu eva a adão.
Sua morte me deixou muito triste, mas também, senti que ele agora descansa. Ele agora está com Deus. Tinha muita fé em Cristo, não nas imagens, nem na mariolatria, tanto que antes de morrer se disse protestante, não que ser protestante fosse importante, mas a fé em Cristo como único e suficiente Salvador é o que é importante, Ele quem tem a chave da vida eterna.
Agora ele está esperando a vinda de Jesus, dormindo, quem sabe não nos encontremos de novo quando Jesus nos chamar.

domingo, 10 de abril de 2011

Pra que outros possam viver...


Mostra quão imenso foi o amor de Deus por nós, entregando Seu próprio filho, para que ele morresse.
Muito obrigado Senhor, meus olhos não viram, mas meu coração crê e estou viva hoje, meu espírito vive. Valeu a pena, muito, muito mesmo!

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Os frutos do Espírito

Eu sempre fico pensando sobre o que eu tenho que buscar de verdade em primeiro lugar, uma coisa que faça diferença em mim ou me transforme numa pessoa melhor. Eu me preocupo muito com o tipo de pessoa que sou,  as vezes olho algumas atitudes de outras pessoas e penso: "Que horror!", mas em seguida penso, eu posso também ter feito isso um dia. 
Hoje eu achei o que eu sempre procurava, andava meio confusa sobre a diretriz que iria seguir para alcançar algo além, lutar e mudar a minha natureza seria já motivo de muita alegria pra mim. 
A nossa natureza é dura, muito difícil de controlar. Eu sou fã de Jesus, e uma das coisas que Ele disse que me deixa muito "doida" é... "Se alguém te pedir para andares com ele uma milha dispõe-te a caminhar duas milhas.", Ele me diz que eu tenho que ir além, se é difícil andar uma milha imagine duas, tem gente que não consegue dar uma carona as vezes, faz o mesmo percurso que faria normalmente, mas reclama, faz cara feia... agora imagine Jesus falando isso para uma pessoa dessas, a pessoa no mínimo iria rir Dele, ou dizer: "vai você" ou "me dá o dinheiro da gasolina então". Porque é isso que nós fazemos, tentamos transferir nossas responsabilidades, não temos paciência, não amamos os outros como a nós mesmos.
A Bíblia descreve perfeitamente a nossa natureza...
Gálatas 5; 19-25


As coisas que a natureza humana produz são bem conhecidas. Elas são:
a imoralidade sexual
a impureza
as ações indescentes
a adoração a ídolos
as feitiçarias
as inimizades
as brigas
as ciumeiras
os acessos de raiva
a ambição egoísta
a desunião
as divisões
as invejas
as bebedeiras
as farras e outras coisas parecidas com essas.
Repito o que já disse: os que fazem essas coisas nãos receberão o Reino de Deus.

Enfim, minha nova diretriz é: produzir os frutos do Espirito na minha vida.

Mas o fruto do Espírito é: 
amor
alegria
paz
paciência
bondade
fidelidade
mansidão 
domínio próprio
Contra estas coisas não existe lei. As pessoas que pertencem a Cristo Jesus crucificaram a natureza humana delas, junto com todas paixões e desejos dessa natureza. Que o Espírito de Deus que nos deu vida, controle também a nossa vida.
Explicando o desenho (tentei uma adaptação meio esdrúxula, mas quem é bom mesmo em desenho é o fê, meu namorado XD), Jesus é o tronco, nós somos os galhos que recebemos os nutrientes do tronco, e os ramos (os frutos) a qualidade deles dependem do quanto de nutriente que recebemos, só que na nossa vida nós podemos buscar os nossos nutrientes. Ah! o sol é Deus que nos ilumina, estamos debaixo da sua Glória. 

até a proxima!

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Últimas palavras de 2010.

Eu vou fazer uma retrospectiva desse ano tão feliz, tão triste, tão curto, tão longo...

Acontecimentos muito infelizes desse ano:
- O mais triste com certeza foi a morte do meu tio Joe, foi uma perda muito grande, apesar de nós não estarmos próximos nos últimos tempos antes de sua morte, eu senti demais a sua falta, mas eu tenho uma ultima imagem que eu NUNCA vou deixar que ela se perda na minha mente, que foi a ultima vez que eu vi ele em julho (um mês antes de sua morte), ele estava sentado na mesa comendo pão e tomando leite gelado na casa da minha avó e estava feliz de ver-nos, de verdade,  lembro até dele rindo das coisas estranhas que a minha avó trouxe da viagem que ela fez à Bahia, tipo rapadura, piranha... umas coisas bem esquisitas. Vou guardar aquele sorriso pra sempre.
- Meu pai saiu de casa, ainda bem que eu e meus irmãos estamos bem grandinhos... mas é estranho pra mim isso, ter um pai em outra casa, sei lá.. estranho algumas coisas ainda.

Acontecimentos felizes:
- Encontrei um cara super legal, o Fe, só Deus sabe o quanto eu gosto desse cara XD. Eu não posso ficar escrevendo muitas coisas, porque eu sei que depois ele vai ler, e eu vou ficar sem graça. Mas ele é o cara mais doce que eu já conheci, e ele me faz muito bem... eu quero também fazer bem a ele. Ele me deu a Doly, uma ovelhinha de pelúcia, eu durmo com ela todos os dias desde que ele me deu ela. Bom, não posso  falar mais, porque eu acabo me derretendo, e vai ficar muito pequeno o espaço, e muito meloso também, deixa que eu falo pra ele mesmo.
- Entrei pra faculdade, embora não seja a faculdade que eu almejava, mas ela é muito boa, tenho um bom futuro sendo engenheira química. O melhor foi que eu consegui bolsa integral, Deus me abençoou muito, até mesmo pra consegui entender as matérias e tudo mais.. Não foi fácil esse ano, porque eu não era muito fã de exatas e eu acabei derrubando um gigante a cada dia, ou aula. Eu não sei até agora porque essa faculdade, mas eu creio que um dia eu vou entender melhor tudo isso que eu passo hoje.
- Arrumei um emprego de temporada, meu contrato terminou no dia 29/12, foi legal, aprendi muitas coisas, e conheci muitas pessoas legais, e nem tão legais também.
- A minha irmã se batizou, foi muito importante isso pra vida dela.. uma morte pro mundo e um viver pra Deus.
- Cortei meu cabelo no dia 29/12 mesmo, fiquei com uma dorzinha no coração de ver aqueles 25 centímetros de cabelo na mão da cabeleireira, mas eu estou feliz porque eu fiz o que eu queria e ficou legal.. depois coloco uma foto, porque nem meu namorado viu ainda.

Com certeza, não foram somente essas coisas que aconteceram no meu ano, aconteceram muitas outras coisas também.. mas as mais marcantes pra mim foram essas.
Espero que 2011 seja um ano de semear muitas coisas boas.. e um ano também de colheita, que eu colha bons frutos, e que tenhamos mais paz nesse mundo e que Deus nos ajude a caminhar segundo Sua vontade.
Seria interessante eu já colher agora na virada a semente que eu plantei hoje, tomara que eu ganhe na mega-sena !!!!
Adeus 2010!                         ...Feliz 2011


Imagem: Blog da União